O Alfajor Argentino


 

Alfajor (em castelhano pronuncia alfarror) é um doce tradicional da Espanha, Argentina, Chile, Peru, Uruguai e outros países ibero-americanos.

 

O nome vem do árabe "al hasu" e significa recheado. O doce é composto de duas ou três camadas de massa, que após assadas devem ser levemente crocantes e macias, quase esfarelando, mas firmes. Tradicionalmente é recheado com doce de leite, coberto com chocolate derretido ou polvilhado com açúcar de confeiteiro. Com o passar dos anos, entretanto, a receita tradicional foi perdendo espaço para sabores de alfajor novos e exóticos.

 

Muito popular na Argentina, o doce é considerado um ícone da cultura do país, onde são consumidos seis milhões de alfajores todos os dias de mais de uma centena de marcas. A mais famosa delas, Havanna, data de 1948 e possui mais de cento e oitenta lojas no país.

 

No século XVIII, em Córdoba, nos conventos e casas religiosas, mãos habilidosas preparavam entre outros doces um biscoito de formato quadrado, unidos entre si por doce de leite e cobertos de açúcar, era chamado de tableta.  

 

O pioneiro dos alfajores argentinos foi, em 1869, D. Augusto Chammás (químico francês que chegou em 1840) que inaugurou uma pequena indústria familiar dedicada à confecção de doces e outros confeitos.